Câncer de Próstata – #TABU

Câncer de Próstata

Câncer de Próstata – #TABU

Um número assustador representa a gravidade do Câncer de Próstata, a doença que atinge em sua grande maioria homens acima dos 40 anos, mata um homem a cada 38 minutos, conforme o Instituto Nacional de Câncer (INCA). A segunda maior causa de óbitos em homens por câncer em todo o brasil.

Porém apesar de números alarmantes, a doença possui uma taxa de 90% de chance de cura quando descoberto em seus estágios iniciais. O grande problema é que o exame realizado para o diagnóstico da doença é cercado por muito preconceito, o que dificulta muito o entendimento da população masculina e faz com que quando descoberto, o câncer já esteja em estágios avançados. 

Um estudo realizado pela Bayer em parceria com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), com homens acima dos 45 anos, apontou que 49% dos entrevistados nunca fizeram nenhum exame preventivo. Desse total, 26% informaram que nunca realizaram o exame porque o médico nunca solicitou, 24% não gostam ou acham pouco “másculo”, 22% não tem sintomas ou idade para realizar, 15% consideram o exame de sangue suficiente e 13% não acreditam que o exame seja necessário. 

Em entrevista ao portal do Instituto Oncoguia o Médico Urologista e membro do Conselho Científico do Instituto de Oncoguia, Arnaldo Fazoli, explica o porquê de tantos homens evitarem a realização do exame e qual o tabu de todo o assunto.

Por que muitos homens ainda têm preconceito com o exame?

Eu chamaria de ignorância, no sentido de pouco conhecimento. Eles não têm medo de fazer o exame e nem de descobrir a doença, mas receio das brincadeiras que vão ter que ouvir ao comentar com amigos e parentes que foram ao médico e tiveram que fazer o exame de toque. Por conta dessas piadas que algumas pessoas fazem, o homem deixa de receber o diagnóstico precoce do câncer de próstata e acaba prejudicando não somente a própria vida, mas também a dos familiares e das pessoas que estão em volta. Esse preconceito tem diminuído nos últimos anos, graças as campanhas de conscientização como o Novembro Azul. Eles têm percebido cada vez mais que o exame é necessário, rápido e mais simples e tranquilo do que imaginam.

Como é feito o exame de próstata? Dura quanto tempo?

A próstata é um órgão muito interno e o único acesso que temos é pelo reto. O objetivo do exame de toque prostático é sentir o tamanho da próstata, a consistência e se tem algum nódulo, caroço ou qualquer tipo de alteração. É importante a realização deste exame, mesmo que o Antígeno Prostático Específico (PSA) esteja normal.

Ele é feito no próprio consultório com anestesia local em gel e dura cerca de 10 segundos. A posição em que o paciente deve ficar durante a realização do exame depende de cada urologista.

A partir de qual idade é recomendado fazer exames?

A orientação é que, a partir dos 50 anos, a população em geral faça o exame preventivo. Para quem teve algum caso da doença na família como, por exemplo, pai, tio, irmão e avô, o paciente tem o risco aumentado é a orientação e que procure o médico urologista para acompanhamento a partir dos 45 anos. A recomendação é pelo menos uma vez ao ano, desde que o resultado do exame esteja normal.

Além do câncer de próstata, que outras doenças são identificadas com o toque prostático?

O órgão pode desenvolver três doenças ao longo da vida. Além do câncer, o exame pode identificar o aumento benigno e inflamações na próstata, também conhecida como prostatite.

Existe algum indício que o homem deve ficar em alerta?

O câncer de próstata é uma doença traiçoeira e não apresenta nenhum tipo de sintoma na fase inicial. Quando aparecem sinais, significa que a doença está em um estágio mais avançado. E, normalmente, pode acontecer do paciente ter primeiro o sintoma da metástase do que do próprio câncer. Muitos homens tendem a pensar que como não estão sentindo nada, não precisam consultar o médico. É justamente esse o grande problema, pois se forem esperar sentir alguma coisa, poderá ser tarde demais.

É mais fácil o tratamento se descoberto em fase inicial? Pode ocorrer em pacientes mais jovens?

Quando o diagnóstico do câncer de próstata é feito na fase inicial, as chances de cura chegam a 90%. Mas se já estiver em um estágio bem avançado, a porcentagem cai para 10%.

É muito raro a doença acometer pacientes mais jovens, mas pode acontecer. A estimativa é de menos de 0,5% da população masculina abaixo dos 40 anos.

Como funciona esse tratamento?

Isso depende do estágio da doença. Quando está no início e localizado somente na próstata, o mais adequado é fazer a cirurgia de retirada do órgão ou a radioterapia. A quimioterapia só é utilizada nos casos em que a doença está em estágio bem avançado.

Causa algum problema no aparelho reprodutor?

A próstata fica próxima de estruturas muito nobres, como entre os nervos responsáveis pela função sexual. Na retirada ou no tratamento, eles podem ser lesados e levar a impotência sexual. Por essa razão, tem se investido em novas tecnologias. Hoje em dia existe um robô que faz esse procedimento com mais precisão.

Fonte: Instituto Oncoguia

Contato

WhatsApp:
(15) 99102-3441
Telefone:
(15) 3234-9410
E-mail
contato@clinicaimed.com.br
rh@clinicaimed.com.br

Facebook

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.